O barato de Londres

DSC00249

 

PorClariceMenezes

O barato de Londres 

Mesmo com a libra lá nas alturas é possível curtir Londres e aproveitar o que ela oferece gratuitamente caminhando pelas ruas da cidade. Mercados, parques, praças, avenidas, monumentos e edifícios icônicos são algumas das atrações que o viajante encontra por lá.

Mas para os apaixonados por Arte, a cidade proporciona aos visitantes conhecer os três museus dentre os mais fantásticos do mundo sem pagar nadinha. British Museum, National Gallery e Tate Modern abrigam os maiores tesouros da humanidade e são passagem obrigatória para desvendar a história das civilizações.

Já que o passe é livre e não é preciso garantir os ingressos com antecedência, confiram o que eu vi por lá..

British Museum

O British Museum já chama a atenção pela sua imponente fachada. O prédio é adornado por colunas jônicas e possui um frontão com esculturas no estilo clássico. A escadaria leva à entrada do saguão principal de formato circular. Em 1994 esse espaço passou por uma reforma e ganhou uma cobertura espetacular: uma estrutura metálica com vidros triangulares que deixam passar a luz natural. O autor do projeto foi o renomado arquiteto Norman Foster, o mesmo responsável por projetar a Ponte do Milênio e o edifício 30 St Mary Axe (o Gerkhin).

O British foi fundado em 1753 e seu acervo integra mais de 8 milhões de peças provenientes de todas as partes do mundo, distribuídas pelos três andares do prédio. A coleção exibe obras da arte africana, grega e romana, egípcia, asiática, europeia, japonesa e também do Oriente Médio.

Dentre as atrações mais controversas do museu estão a Pedra Roseta e partes do friso do Parthenon. A pedra encontrada no Egito foi levada para Londres. Lá ela foi estudada e decifrada por estudiosos já que a relíquia contém inscrições em hieróglifos, demótico e grego antigo.

As esculturas provenientes do Parthenon foram transferidas para o museu britânico onde estão, desde 1816, muito bem conservadas. Até hoje elas são motivo de discórdia entre gregos e britânicos. A Grécia reivindica a devolução das peças para serem expostas no Novo Museu da Acrópole.

Dada a grandeza do Museu Britânico, há a necessidade de fazer uma seleção prévia do que se deseja ver. Geralmente opto por um percurso cronológico e faço uma lista pessoal de acordo com minhas preferências. Desta vez visitei as galerias do Egito e da Grécia. Saí de lá renovada e confiante de que tudo que vi iria ficar por muito tempo na memória. Confira o roteiro:

O museu

DSC00358
Entrada principal do museu e as colunas jônicas
DSC00262
Detalhe do frontão com esculturas em estilo clássico
DSC00276B
O teto interno do saguão principal do British Museum: projeto do arquiteto Norman Foster
  • Antigo Egito
DSC00353
Pedra Roseta com inscrições em hieróglifos, demótico e grego antigo

 

DSC00343
O escaravelho, amuleto mais popular do Egito

 

DSC00347
Hieróglifos egípcios
  • Grécia

 

DSC00303
Parte das estátuas retiradas do frontão do Parthenon

 

DSC00296
Réplica do Monumento às Nereidas

 

Na página oficial do museu você pode conferir toda a programação e planejar a sua visita:

http://www.britishmuseum.org/

http://www.britishmuseum.org/visiting/planning_your_visit/free_tours_and_talks.aspx

 

National Gallery

National Gallery fica localizado em um dos espaços mais belos e vibrantes de Londres, a Trafalgar Square. Com suas fontes exuberantes, a praça é uma atração à parte e fica bem no centro da capital inglesa. É fácil se apaixonar por ela e não querer mais sair de lá.

O museu estatal foi inaugurado em 1824 e concebido para atender a toda a população, não só aos “entendidos” ou aos estudiosos.  O National Gallery abriga as mais representativas obras-primas da história europeia do século XIII até o início do século XX. Entre os destaques estão O casal Arnolfini de van Eyck, Vênus ao Espelho de Velázquez, Girassóis de van Gogh.

Vamos encontrar  desde os renascentistas Botticelli, Leonardo e Rafael, passando pelos nórdicos van Eyck e Dürer, pelo grande mestre Caravaggio até chegar o século XIX e, finalmente, às obras pós-impressionistas de Seurat, Renoir e Cézanne.

O National Gallery é alegria para os olhos, uma parte da história e uma visita inesquecível. Confira as fotos:

 

Trafalgar Square

 

DSC00675

DSC00681

Meus favoritos:

O casal Arnolfini, van Eyck

 

Vênus ao Espelho, Velázquez

 

Girassóis, van Gogh

Na página oficial do museu você pode conferir toda a programação e planejar a sua visita:

http://www.nationalgallery.org.uk/

Tate Modern 

Para completar a tríade dos museus gratuitos de Londres, não pode faltar o imprescindível Tate Modern. A sua localização é muito privilegiada, pois ele fica de frente para o Tâmisa e a Ponte do Milênio. Além disso a coleção do museu é de tirar o fôlego!

O Tate Modern Foi inaugurado em 2000 para abrigar a Arte Moderna e entre os grandes mestres a gente encontra Picasso, Matisse e chagal.

TAte_modern

DSC00546
St. Paul Cathedral e Millenium Bridge
DSC00545
Um café para recarregar as baterias antes de iniciar a próxima jornada

Na página oficial do museu você pode conferir toda a programação e planejar a sua visita:

http://www.tate.org.uk/visit/tate-modern

Termino essa jornada com a certeza de que tudo isso merece mais do que uma visita.  Quem sabe já não é hora de pensar em voltar, afinal, a Terra da Rainha é um prato cheio para os que amam explorar o conhecimento.

Bye bye.

Até o próximo post.

Anúncios

Como planejar sua primeira viagem a Nova York

Por Clarissa Bravo

Central Park
Central Park

A Big Apple é uma cidade extremamente sedutora. Dá para se apaixonar logo de cara. Traz a exata noção de megalópole, de mundo. Porque é ali, naquele pedacinho de chão, a esquina do mundo: 279 idiomas falados numa única cidade! Era certo que um dia poderia ter a oportunidade de conhecer Nova York e que seria incrível. Só não imaginei que fosse tanto….E como planejar uma viagem com poucos recursos? Sabe, não sou daquelas pessoas que nadam em dinheiro. E a cidade é famosa por ser um centro turístico caro: hospedagem, locomoção, alimentação. Nada é barato, ainda mais se compararmos com o Real, a moeda brasileira.

Então, vamos por partes:

Passaporte

Para sair do Brasil, com exceção de alguns países da América do Sul (onde se usa o RG emitido nos últimos 10 anos), o cidadão brasileiro precisa do seu passaporte. A primeira etapa é entrar no site da Polícia Federal e preencher a solicitação do documento e pagar a GRU (Guia de Recolhimento da União) no valor de R$ 156,07. O atual prazo de validade do documento é de 5 anos. Vale sempre checar se o passaporte está na validade.

A União Européia exige, por exemplo, que o passaporte expire em 4 meses após a data do retorno do visitante estrangeiro. Por exemplo, se você pretende viajar em julho de 2015 (indo e voltando nesse mês) seu documento não pode expirar antes dezembro do mesmo ano.

Portanto, atenção!

Visto americano

O primeiro passo para viajar aos EUA é providenciar o visto americano. Existe uma certa burocracia e exige atenção. Preencha o formulário com calma e responda a todas as perguntas. Antes, porém, tenha em mente o seu destino no país e a durabilidade da sua viagem, porque essa é uma informação muito importante na hora do preenchimento do Formulário DS-160. O documento pede, inclusive, o endereço da sua estadia.

Li muitas dicas e vi alguns vídeos no Youtube, mas o que vale realmente é seguir as determinações pedidas pelo governo americano, incluindo aquela interminável lista de papéis que provam que você é um cidadão com vínculos fortes com o Brasil – extrato bancário, documento de veículo, escritura de apartamento, declaração de matrícula de filhos na escola, contracheque etc. – e, que, sobretudo, não apresenta nenhuma ameaça imigratória para os EUA. A minha entrevista foi tranquila, me perguntaram poucas coisas. Não fiquei nem 5 minutos sendo entrevistada.

Passagens aéreas

Passaporte e visto em mãos! O meu próximo passo foi a compra das passagens aéreas. Sou uma aficionada em checar as promoções que os Melhores Destinos publicam. E foi numa dessas pesquisas que eu consegui uma passagem ótima, voo direto, preço melhor ainda. Com a alta do dólar, as empresas aéreas baixaram os valores das tarifas. Quem tem vontade e se organizou para viajar, esse é um excelente momento.

As principais empresas aéreas que possuem voos para os EUA são: TAMAmerican Airlines, United, Delta, Copa, Aeroméxico, Gol, Azul, Avianca.

Hospedagem

Onde se hospedar em NYC pode variar de acordo com o estado de espírito do viajante. Eu e minha amiga Clarice escolhemos nos hospedar em hotel e na área turística da cidade: Midtown Manhattan. Escolhemos também arriscar, porque fizemos as reservas num site de leilão de hospedagem, o Priceline. Funciona assim: os hotéis que não atingem a lotação máxima, mandam as suas ‘lacunas’ para esse tipo de site, que as comercializa. O Priceline mostra as opções de hospedagem (se tem café da manhã, estacionamento, wi-fi grátis etc.) e localização geográfica. Ou seja, não sabemos o nome do hotel, se o quarto é grande ou pequeno… Fomos na sorte e acertamos! Preço muito bom para a cidade.

Os viajantes também têm outras boas opções que já usei. São elas: o Booking e o Airbnb. São buscadores de vagas em hotéis e/ou apartamentos. Ainda tem a opção de se hospedar em hostel. Minha amiga vive tentando me convencer, mas ainda não consegui me ‘desapegar’.

Dólares – quanto levar?

Isso pode variar de acordo com a possibilidade de cada um. Nós fizemos o cálculo de US$100,00 por dia. É uma média boa para não passar aperto, comer relativamente bem e ainda comprar uma lembrança ou outra. Se o seu objetivo é fazer compras, vá direto para os outlets. Nós não fomos e não nos arrependemos. Não tínhamos tantos desejos consumistas e nos satisfizemos com as ofertas oferecidas em Manhattan mesmo. Além disso, depois que visitei as farmácias americanas, não queria mais sair delas (risos).

Ingressos variados e Broadway

Ao contrário das milhares de dicas que anotamos sobre as intermináveis filas nos museus e atrações turísticas, não encontramos nenhuma que pudesse nos tirar do sério. Compramos quase tudo na hora, com exceção dos ingressos para o show da Broadway. Escolhemos o espetáculo Motown. Recomendo muito adiantar os ingressos aqui do Brasil (a única desvantagem é pagar o IOF do cartão de crédito). O espetáculo fala sobre a gravadora de música negra americana, Motown. Aqui, um vídeo que demonstra o quanto você vai se divertir!

Mas… se mesmo assim o viajante não quiser arriscar, uma boa ferramenta é o The New York Pass. Oferece opções de ingressos e atrações e ainda está em português, o que facilita bastante a vida de quem não tem aquela boa fluência na língua inglesa.

Boa Viagem!

Buenos Aires: a segunda impressão é a que fica

Centro de Buenos Aires
Centro de Buenos Aires

Por Clarice Menezes

Estive em Buenos Aires pela primeira vez em novembro de 2011 e, em maio de 2014, tive a oportunidade de retornar, o que me fez ter um olhar ainda mais atento sobre a cidade. Ela continua grandiosa por suas largas avenidas e acolhedora por seus charmosos cafés e suas numerosas livrarias. Nesta época do ano, o frio portenho já se anuncia de forma nada modesta, mas apesar dos 9 graus Celsius, a vida cultural intensa da cidade avança noite adentro pela avenida Corrientes. Shows, peças e musicais são as grandes atrações da região.

O bacana de ter ido nesta época foi poder aproveitar o friozinho com tudo o que Bue traz de melhor: os vinhos, a parrilla , as vitrines lotadas de botas e casacos maravilhosos, além dos lenços, cachecóis e dos irresistíveis sombreros. Andar pela cidade me pareceu ainda mais instigante do que da primeira vez, pois pude conhecer novas atrações e também revisitar outras de que havia gostado, afinal, a segunda impressão é a que fica.
Encantada! Gracias, Buenos Aires!

Aqui está nosso pequeno roteiro de 4 dias em Bue:

1˚dia: Musical e Compras
1. Caminhamos do nosso hotel até à Florida, aproveitando para rever a cidade.
2. Visitamos a Casa Rosada, a Plaza de Mayo e, na volta para o hotel, escolhemos o musical da noite. Compramos os ingressos para Priscila, a Rainha do Deserto. Ótimo espetáculo! Recomendamos.

3. Antes do evento noturno, fomos ao outlet da avenida Córdoba para comprar casacos. Lá é um local excelente para compras, os preços são ótimos e há sempre a chance de encontrar produtos de qualidade.

2˚dia: El Atheneo, Recoleta, Almoço, Winery e Paseo y Plaza
1. Fomos até a livraria El Ateneo fazer comprinhas indispensáveis e desfrutar do ótimo café servido lá.
2. Passeamos pela Recoleta, almoçamos e visitamos o Recoleta Mall. O “must” ficou por conta da Winery, loja de vinhos imperdível, localizada na entrada do shopping. A loja oferece degustação, bons rótulos e preços.
3. Bem pertinho dali, almoçamos no Rodi-Bar, um restaurante muito honesto e com preços bons. O pedido foi uma costela com batatas e uma taça de vinho, tudo muito delicioso.

4. Para fechar o dia, jantamos no The Cavern Pub em Paseo La Plaza, um complexo cultural agitadíssimo que ficava exatamente em frente ao nosso hotel! Ô, sorte!

3˚dia: Vinhos, Palermo, Malba e Jardim Japonês
Jardim Japonês
1. Logo pela manhã, descobrimos que a Ligier, uma loja de vinhos fantástica, com ótimos preços, que também ficava em frente ao nosso hotel. Ô, sorte dois!
2. À tarde, fomos visitar o Malba em Palermo. Caminhamos pelos arredores até o Jardim Japonês e registramos belíssimas paisagens.
3. Almoçamos em Plaza Serrano, Palermo, onde há dezenas de bares e restaurantes. Escolhemos um bastante acessível e tivemos um ótimo almoço com parrilla e taça de vinho.

4. À noite, fomos ao show do The Beatles no Cavern Pub The, por apenas 3 dólares.

4˚dia: Dia da independência, San Telmo, Mafalda, Messi e Papa
Plaza de Mayo cercadas de manifestantes pró Cristina Kirchner
Plaza de Mayo
1. Pela manhã, fomos caminhando até à avenida Nove de Julho e pegamos um táxi até San Telmo para a famosa feirinha de antiguidades que acontece todos os domingos no local.
2. Na feira, comprei mais um sombrero, bebemos uma Pinta bem gelada e vimos que o Messi e o Papa estão mesmo por todos os lugares, fotos, livros, vídeos. Aproveitamos para tirar fotos com a Mafaldinha que fica na esquina da Chile com a Defensa. Na volta, passando pela Plaza de Mayo e tivemos uma agradável surpresa: era o dia da Independência da Argentina e havia na praça uma grande festa popular com direito a desfiles de sindicatos, partidos, crianças, bandeiras e muito barulho.

3. Voltamos caminhando para o hotel e de quebra, ainda passei no Carrefour da Corrientes e peguei mais um vinho bom e barato. Imagina se a gente vai encontrar uma garrafa por 4 dólares aqui?! Dicas úteis – planejamento da viagem – Principais companhias aéreas que voam do Brasil para Buenos Aires: Gol, Tam, Lan, Aerolineas Argentinas, Qatar Airways, Emirates. Usamos o aplicativo Skyscanner (válido para Android, IOS e Windows fone) para pesquisar as passagens mais baratas, além de acessar com bastante frequência as ofertas detectadas pelo site Melhores Destinos. – Hospedagem: costumamos usar o Booking. Bons preços e boas ofertas. – Câmbio: leve dólares só se já tiver. O melhor é levar reais e trocar no banco de La Nación, para quem vai desembarcar no aeroporto de Ezeiza. Para quem desembarca no aeroporto de Aeroparque, o melhor é fazer o câmbio nas casas de câmbio próximas à rua Florida. Lembrando que reais são bens aceitos para o pagamento de táxi (trecho aeroporto-hotel/hostel/apartamento-aeroporto) e também para o pagamento das diárias de hotel. No entanto, vale sempre perguntar no ato da reserva. – Se pensa em contratar passeios, como conhecer o zoológico de Lujan, opte sempre pelos serviços oferecidos pelo hotel ou de alguma empresa de turismo confiável e indicada. – O deslocamento em Buenos Aires pode ser feito de táxi. Ainda é uma opção barata e rápida. Preste atenção em alguns taxistas. Podem não ser tão honestos como se espera. Boa Viagem!

Início dos trabalhos

Como tantas pessoas no mundo, para nós duas, Clarissa e Clarice, viajar é nossa paixão. Na verdade, apurar o olhar para outras culturas é nos transformarmos a cada desarrumar de malas. Não somos viajantes profissionais porque os recursos financeiros ainda não permitem, mas sabemos contar histórias bem legais. Então, convidamos você para conhecer o nosso olhar. Divirta-se!